Vacina contra a gripe (influenza) (viva, intranasal)

Por que tomar a vacina?

A gripe (“influenza”) é uma doença contagiosa propagada todos os anos, geralmente entre outubro e maio no hemisfério norte e maio e outubro no hemisfério sul.

A gripe é causada pelo vírus influenza, sendo transmitida principalmente por meio de tosse, espirros e contato próximo.

Qualquer pessoa pode pegar a gripe. A gripe ataca repentinamente e pode durar vários dias. Os sintomas variam de acordo com a idade, mas podem incluir:

  • febre/calafrios
  • dor de garganta
  • dores musculares
  • fadiga
  • tosse
  • dor de cabeça
  • coriza ou congestão nasal

A gripe também pode causar:

  • pneumonia
  • infecções sanguíneas
  • diarreia
  • convulsões em crianças.

Caso a pessoa tenha um problema de saúde, como problema cardiovascular ou pulmonar, a gripe pode piorá-lo.

A gripe é mais perigosa para certas pessoas que apresentam maior risco, como:

  • bebês
  • crianças pequenas
  • pessoas com mais de 65 anos de idade
  • mulheres grávidas
  • pessoas com certos problemas de saúde
  • pessoas com o sistema imunológico debilitado.

Todos os anos milhares de pessoas nos Estados Unidos morrem de gripe e muitas outras são hospitalizadas.

A vacina contra a gripe pode:

  • evitar que você pegue a gripe
  • tornar a gripe menos grave, caso você seja contaminado
  • impedir que você transmita a gripe para seus familiares e outras pessoas.

Vacina contra a gripe com vírus vivo atenuado — LAIV, spray nasal

É recomendável tomar uma dose da vacina contra a gripe a cada ano. Crianças menores de 9 anos podem precisar de duas doses da vacina no mesmo ano. Todas as outras pessoas
precisam somente de uma dose por ano.

A vacina viva atenuada contra a gripe (denominada LAIV) pode ser administrada a pessoas saudáveis e que não estejam grávidas entre 2 a 49 anos de idade. Pode ser administrada com segurança juntamente com outras vacinas.

A LAIV é administrada com um spray nas narinas. Essa vacina não contém timerosal nem outros preservativos. É preparada com o vírus enfraquecido da gripe e não causa a gripe. Existem muitos vírus da gripe e eles estão em constante mutação. Todos os anos a LAIV é produzida para proteger as pessoas contra quatro vírus que podem provocar a doença naquele ano. Mas mesmo quando a vacina não protege exatamente contra esses vírus, ainda pode oferecer alguma proteção.

A vacina contra a gripe não pode evitar:

  • gripes que sejam causadas por um vírus não afetado pela vacina
  • sintomas parecidos com a gripe, mas que não são a gripe.

Após a vacinação, são necessárias cerca de duas semanas para que a proteção se desenvolva e essa proteção dura até um ano.

Algumas pessoas não devem tomar esta vacina

Algumas pessoas não devem receber a LAIV devido à idade, problemas de saúde ou outros motivos. A maioria dessas pessoas deve tomar então a vacina injetável contra a gripe. O profissional de saúde poderá ajudá-lo a decidir.

Informe ao profissional de saúde se você ou a pessoa que está sendo vacinada:

  • tem alguma alergia, incluindo alergia a ovos, ou se já teve alguma reação alérgica a uma vacina contra a gripe
  • já teve a Síndrome de Guillain-Barré (também chamada de GBS)
  • tem problemas de saúde crônicos, tais como problemas:
    • cardíacos
    • respiratórios
    • renais
    • hepáticos
    • do sistema nervoso
  • tem asma ou problemas respiratórios
  • é uma criança que teve episódios de sibilância (chiado no peito)
  • está grávida
  • é uma criança ou adolescente que está tomando aspirina ou produtos que contenham aspirina
  • tem o sistema imunológico debilitado
  • irá visitar ou tomar conta de alguém, nos próximos sete dias que exija um ambiente protegido (por exemplo, após um transplante de medula óssea).

Às vezes a LAIV deve ser adiada. Informe ao profissional de saúde se você ou a pessoa que está sendo vacinada:

  • não estiver se sentindo bem. A vacina poderá ser adiada até que você esteja se sentindo melhor
  • tiver tomado outras vacinas nas últimas quatro semanas. Vacinas vivas administradas muito próximas umas das outras podem não funcionar tão bem
  • tiver tomado medicamentos contra o vírus da influenza nas últimas 48 horas
  • estiver com uma forte congestão nasal.

Riscos de uma reação à vacina

Com qualquer medicamento, inclusive as vacinas, existe uma possibilidade de reações. Geralmente elas são leves e desaparecem espontaneamente, mas reações graves também são possíveis. A maioria das pessoas que tomam a vacina LAIV não apresenta nenhum problema. As reações à vacina podem parecer uma gripe bem leve.

Problemas que foram relatados após a administração da vacina LAIV:

Crianças e adolescentes de 2 a 17 anos de idade:

  • coriza/congestão nasal
  • tosse
  • febre
  • dor de cabeça
  • dores musculares
  • chiado/broncoespasmo
  • dor abdominal, vômitos ou diarréia

Adultos de 18 a 49 anos de idade:

  • coriza/congestão nasal
  • dor de garganta
  • tosse
  • calafrios
  • cansaço/fraqueza
  • dor de cabeça

Problemas que podem surgir após a administração de qualquer vacina:

  • Qualquer medicamento pode causar uma reação alérgica grave. Essas reações à uma vacina são muito raras, estimando-se cerca de uma ocorrência em um milhão de doses, e geralmente ocorrem de poucos minutos a algumas horas após a vacinação.
  • Como ocorre com qualquer medicamento, existe uma possibilidade muito remota de a vacina provocar lesões graves ou morte.
  • A segurança das vacinas está sempre sendo monitorada.

E se houver uma reação grave?

O que devo observar?

  • Observe qualquer coisa que possa parecer preocupante, como:
    • sinais de reações alérgicas graves
    • febre muito alta
    • alterações no comportamento.
  • Os sinais de uma reação alérgica grave incluem:
    • urticária
    • inchaço no rosto ou na garganta
    • dificuldade para respirar
    • taquicardia
    • tontura
    • fraqueza
  • Esses sintomas em geral manifestam-se dentro de alguns minutos até algumas horas após a vacinação.

O que se deve fazer?

  • Se você acha que é uma reação alérgica grave ou outra emergência que não pode esperar, ligue para o serviço de emergência local ou leve a pessoa ao hospital mais próximo. Caso contrário, chame o seu médico.
  • Conte ao médico o que aconteceu, a data e hora em que aconteceu a reação e quando a vacina foi administrada.

Fontes de informação

Adaptado da Coalizão de Ação de Imunização, Declarações de Informações sobre Vacinas.