Vacina contra difteria, tétano e tosse convulsa

Por que vacinar?

Difteria, tétano e tosse convulsa são doenças sérias causadas por bactéria. A difteria e a tosse convulsa são transmitidas de pessoa para pessoa. O tétano entra no corpo por meio de cortes ou feridas.

DIFTERIA

  • A DIFTERIA forma uma inflamação espessa na parte posterior da garganta.
  • A difteria pode levar a problemas respiratórios, paralisia, insuficiência cardíaca e até mesmo à morte.

TÉTANO

  • O TÉTANO (travamento da mandíbula) causa endurecimento dolorido dos músculos, normalmente no corpo todo.
  • Pode levar ao “travamento” das mandíbulas e, portanto, a pessoa não consegue abrir a boca ou engolir. O tétano leva à morte em até 2 dentre 10 casos.

TOSSE CONVULSA

  • A TOSSE CONVULSA provoca ataques de tosse tão sérios que é difícil para os bebês comer, beber ou respirar. Os ataques podem durar semanas.
  • Pode levar à pneumonia, convulsões (espasmos musculares e olhos parados), danos ao cérebro e morte.

A vacina DTaP (Difteria, tétano e tosse convulsa) pode ajudar a prevenir essas doenças. A maioria das crianças que são vacinadas com DTaP ficará protegida durante a infância. Muitas outras crianças teriam essas doenças se parássemos de vacinar.

A DTaP é uma versão mais segura de uma vacina mais antiga chamada DTP. A DTP não é mais usada nos Estados Unidos.

Quem deve tomar a vacina de DTaP e quando?

As crianças devem receber cinco doses da vacina DTaP, uma dose em cada uma destas idades:

  • 2 meses
  • 4 meses
  • 6 meses
  • 15 a 18 meses
  • 4 a 6 anos

A vacina DTaP pode ser aplicada ao mesmo tempo que outras vacinas.

Algumas crianças não devem tomar a vacina de DTaP ou devem esperar

Crianças com doenças leves, como resfriado, podem ser vacinadas. Mas crianças moderada ou gravemente doentes normalmente devem esperar até se recuperar, antes de tomar a vacina DTaP.

  • Qualquer criança que tiver tido uma reação alérgica grave depois de uma dose de DTaP não deverá tomar outra dose.
  • Qualquer criança que tiver sofrido de doença do cérebro ou do sistema nervoso sete dias depois da dose de DTaP não deverá tomar outra dose.
  • Fale com o médico se seu filho:
    • tiver tido uma convulsão ou algum desmaio depois de uma dose de DTaP
    • tiver chorado sem parar por três horas ou mais depois de uma dose de DTaP
    • tiver tido febre de 40,5 °C depois de uma dose de DTaP.
  • Peça ao médico mais informações. Algumas dessas crianças não devem tomar outra dose da vacina contra a tosse convulsa, mas podem tomar a vacina sem a tosse convulsa, chamada DT.

Crianças mais velhas e adultos

A DTaP não está licenciada para adolescentes, adultos ou crianças acima de sete anos ou mais. Mas as pessoas com mais idade também precisam de proteção.

Uma vacina chamada Tdap é semelhante à DTaP. Uma única dose da Tdap é recomendada para pessoas de 11 a 64 anos de idade. Outra vacina chamada Td protege contra tétano e difteria, mas não contra a tosse convulsa. É recomendada para ser tomada a cada dez anos. Há declarações de informações da vacina separadas para cada uma dessas vacinas.

Quais são os riscos da vacina DTaP?

Ter a difteria, o tétano ou a tosse convulsa é mais arriscado que tomar a vacina de DTaP.

No entanto, uma vacina, como qualquer medicamento, pode causar problemas sérios, como reações alérgicas graves. O risco de a vacina DTaP causar um dano sério ou morte é extremamente pequeno.

Problemas leves (comuns)

  • Febre (em até 1 dentre 4 crianças)
  • Vermelhidão ou inchaço no local da injeção (em até 1 dentre 4 crianças)
  • Dor ou sensibilidade no local da injeção (em até 1 dentre 4 crianças)

Esses problemas ocorrem com mais frequência depois da 4a e 5a doses da série de vacinas DTaP que depois das doses iniciais. Algumas vezes, a 4a ou 5a dose da vacina DTaP é acompanhada por inchaço de todo o braço ou da perna em que se tomou a injeção, que pode durar de 1a7 dias (em até 1 dentre 30 crianças).

Outros problemas leves incluem:

  • Agitação (em até 1 dentre 3 crianças)
  • Cansaço ou falta de apetite (em até 1 dentre 10 crianças)
  • Vômito (em até 1 dentre 50 crianças)
  • Esses problemas geralmente ocorrem de 1 a 3 dias depois
    da injeção.

Problemas moderados (incomuns)

  • Convulsão (espasmos ou olho parado) (cerca de 1 dentre 14.000 crianças)
  • Choro sem parar durante três horas ou mais (em até 1 dentre 1.000 crianças)
  • Febre alta, mais de 40,5 °C (cerca de 1 criança dentre 16.000)

Problemas graves (muito raros)

  • Reação alérgica séria (menos de 1 dentre um milhão de doses)
  • Vários outros problemas graves foram informados depois da vacina DTaP. Eles incluem:
    • Convulsões longas
    • coma ou nível de consciência reduzido
    • Dano permanente no cérebro.
  • Esses problemas são tão raros que é difícil dizer se eles são provocados pela vacina.

Controlar a febre é especialmente importante para crianças que tiveram convulsões, qualquer que tenha sido o motivo das convulsões. É importante também se outro membro da família tiver tido convulsões. Você pode reduzir a febre e a dor dando à criança um analgésico sem aspirina quando a vacina for tomada e durante as 24 horas seguintes, seguindo as instruções da embalagem.

E se houver uma reação grave?

O que devo procurar?

  • Procure qualquer coisa preocupante, como:
    • sinais de uma reação alérgica grave
    • febre muito alta
    • mudanças de comportamento.
  • Sinais de uma reação alérgica grave podem incluir:
    • manchas em forma de colmeia pelo corpo
    • inchaço do rosto e da garganta
    • dificuldade para respirar
    • batimentos cardíacos acelerados
    • tontura
    • fraqueza.
  • Esses sintomas se apresentariam alguns minutos ou algumas horas depois da aplicação da vacina.

O que eu devo fazer?

  • Se você acha que é uma reação alérgica grave ou outra emergência que não pode esperar, ligue para o serviço de emergência local ou leve a pessoa ao hospital mais próximo. Caso contrário, chame o seu médico.

Fontes de informação

Adaptado da Coalizão de Ação de Imunização, Declarações de Informações sobre Vacinas.